Globo tem surto de covid no jornalismo, e entra em estado de alerta

Assim como o SBT, a Globo também enfrenta um surto de Covid em seu jornalismo provocado pela variante ômicron.

Segundo o site Notícias da TV, a Globo entrou em estado de alerta, e definiu regras para afastar jornalistas que apresentem risco à saúde da equipe. Nesta quarta-feira (5), Christiane Pelajo recebeu diagnóstico positivo para a doença e foi substituída por Marcelo Cosme no Edição das 16h.

O Notícias da TV teve acesso a um email enviado por Ali Kamel, diretor de Jornalismo da emissora, à Redação da Globo nesta quarta, confira abaixo na íntegra:

"Como todos nós sabemos e estamos noticiando, a variante Ômicron chegou com força.

É então imprescindível que redobremos nossos cuidados, na nossa vida profissional, mas também na nossa vida pessoal. Precisamos usar máscara o tempo todo no ambiente de trabalho, higienizar mãos e equipamentos e evitar aglomerações.

Com o repique, é preciso relembrar alguns procedimentos que adotamos desde o início da pandemia e que continuam a ser adotados.

1) Só são afastados contatos próximos de pessoas que contraíram a Covid: aqueles que ficaram com a pessoa que testou positivo no dia ou no dia anterior aos primeiros sintomas por mais de 15 minutos, a menos de um metro e meio e sem máscara. Como todos usamos máscaras o tempo todo, os contatos próximos se mostraram extremamente raros. Estudos internos confirmaram que uma pessoa com Covid raramente passou para outros da equipe. Casos de contar nos dedos e apenas nos primeiros dois meses da pandemia. Por isso, a necessidade de mantermos o uso de máscaras e seguirmos o protocolo.

2) Não afastamos contatos de contatos. Ou seja, se alguém esteve próximo de alguém que, em outra situação, esteve próximo de um contato de uma pessoa com Covid, essa pessoa não precisa ser afastada. Esse sempre foi nosso procedimento.

3) Afastamos aqueles que moram com pessoas com Covid. O Comitê que estuda as medidas profiláticas em relação à Covid vai discutir na sexta o prazo de afastamento, adotando critérios do CDC americano e de agências de países europeus e da Anvisa.

4) Todos os que têm sintomas não devem vir trabalhar. Devem avisar o gestor e serão testados no prazo de três dias. Esse prazo é importante para evitar falsos negativos.

Essas medidas vêm sendo adotadas com sucesso desde março de 2020. Foi com elas que chegamos até aqui. É com elas que vamos continuar mais seguros.

Em relação a 2020 e 2021, há um coisa positiva: todos estamos vacinados com duas doses. Muitos, com o reforço. E a Ômicron tem se mostrado branda nesses casos. Mas isso não nos fará relaxar."

Comentários